quinta-feira, 14 de dezembro de 2006

SANEAMENTO E SALUBRIDADE





A freguesia de Campolide tem 2.7 km2 de área e cerca de 16 000 habitantes. Certamente tem muitos quilómetros de ruas, travessas, pátios e vilas e deveria ter uma quantidade de cantoneiros (varredores) necessários para a limpeza das mesmas. Porém, isso há muito que é uma miragem. Ou porque há poucos candidatos, que manifestam ser a remuneração pouco aliciante para a tarefa, muito digna, de limpar a cidade ou freguesia, mas também, muito exigente do ponto de vista, quer físico quer psicológico. Ou por falta de verbas que (a dívida actual é de mil milhões de euros, só de juros, são cerca cem mil euros por DIA) é o caso actual. Consta-se até que as verbas para o apoio logístico das oficinas auto não têm aparecido na quantidade necessária e as viaturas vão encostando às “boxes”.
O que é facto, é que a freguesia há muito que anda muito suja, excepto nas artérias principais e mais centrais. Na periferia, ou seja nos bairros, a limpeza deixa muito a desejar. Então junto aos contentores de 1100 litros, há dias que é difícil lá chegar…porém, nestes casos, e nos outros também, os moradores têm tido um papel de má qualidade e têm contribuído altamente para aquelas desgraças. O comodismo, nalguns casos, é total. Não se preocupam em tapar o contentor nem acondicionar bem os sacos do lixo de forma a caber muito mais lixo no contentor. Assim, rapidamente estes enchem, depois há a necessidade de colocar sacos à beira deles, com a agravante dos cães vadios e famintos romperem-nos à procura de alimentos e completarem o quadro de porcaria à volta dos contentores.
Neste caso a Câmara devia tomar medidas rapidamente reforçando a quantidade de contentores, reforçando a quantidade de carros de recolha de lixo à noite e de cantoneiros durante o dia para limpeza destes locais e das ruas da periferia.

1 comentário:

Alfredo disse...

esta é uma luta de há já longos anos, não é Orlando?
Admiro a tua persistência. Não desistas...